Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

16.Ago.18

Pai, gosto de regressar a casa depois das férias

pai-gosto-de-regressar-a-casa-depois-das-ferias.pn

Todos queremos que as férias não acabem. Parece sempre que quando acabam, passaram num instante e tudo o que fizemos foram pequenos momentos que ficam na nossa memória durante um ano até irmos de férias novamente.

 

Nós estamos sempre a contar histórias das férias. “Pai, lembraste quando fizemos aquele túnel na areia?” ou “Pai, quando fizemos aquele jogo e ficamos todos molhados”. Há mil e um episódios, são momentos que ficam, assim como o regressar a casa. Ao fim de uns dias fora de casa é possível que existam saudades.

 
Não é só o mais pequeno que sente essas saudades. “Eu acho que o nosso sofá está com saudades nossas”, disse a Mãe a puxar conversa. “Mãe, quando chegar a casa quero ser o primeiro a atirar-me para o sofá e enchê-lo de miminhos”.
 
Sim, é verdade, o nosso sofá é um membro da família. Não temos animais de estimação, por isso adotamos o sofá como um. O sofá dá-nos muito apoio durante o ano e é uma pena que não possa vir connosco de férias.
 
Desde há uns anos que o nosso filho tem um ritual quando regressa de férias: entra em casa e vai logo para o seu quarto, pega em brinquedos e põe-se a brincar. Não se fica por um brinquedo ou outro, parece que quer brincar com todos, como se estivesse a confirmar que estão todos ali.
 
Nós perguntamos sempre “Tinhas saudades dos teus brinquedos?”. A resposta é afirmativa, mas o que ficamos a pensar é que alguns desses brinquedos ele só pega quando regressa de férias. Curioso, não acham?
 
A pensar nisto, já propusemos que ele leve os brinquedos que quiser para férias, mas não quer, prefere as 3 ou 4 bolas de futebol e fica por aí.
 
Este ano resolvemos deixar uns dias de férias em casa antes de regressarmos ao trabalho. Estivemos mais de 10 dias fora de casa, por isso, o miúdo precisou de alguns dias para poder reatar a ligação com os brinquedos todos. Não preciso de dizer que o quarto depressa ficou de pernas para o ar, com tantas brincadeiras a acontecer ao mesmo tempo.
 
As férias são um dos momentos que mais aguardamos durante o ano. Por todas as mais óbvias razões e mais algumas, mas o regressar a casa é sempre especial. Para o mais pequeno é uma oportunidade de tirar o pó aos brinquedos, para nós adultos é regressar ao nosso cantinho, ao nosso sofá, às nossas coisas.
 
Eu sei que temos mais do que tempo para estar em casa durante o ano, mas nós, como apaixonados pelo nosso lar, tem sempre um sentimento especial regressar, seja depois de um dia de trabalho, seja depois de alguns dias de férias.
 
O Pai
08.Ago.18

Pai, na Kidzania encontrei a minha profissão

pai-na-kidzania-encontrei-a-minha-profissao.png

“Pai, quando vamos voltar à Kidzania” foram as palavras do miúdo mesmo à saída de um dia intenso de atividades e conquistas.

 
Quando recebemos o convite para visitar a Kidzania, o miúdo entrou em êxtase total. Já tinha tido vários amigos a relatar tudo o que tinham feito naquele espaço e, por causa disso mesmo, já nos andava a pedir para lá ir. Preparou tudo ao pormenor, já sabia quais eram as atividades que poderia fazer, os horários e até o que poderia fazer com o dinheiro, os Kidzos.
 
Hoje nem foi preciso grande esforço para acordar. “Pai, sonhei que ia experimentar todas as atividades”, ora bem, são 60 atividades que se podem fazer na Kidzania, logo vi que iríamos estar sempre a gerir o tempo pois não dá para tudo num único dia.
 

20180808_192245_0001.png

 
Chegamos por volta das 11 com o miúdo já a reclamar, “Já perdemos 30 minutos!!”, isto porque durante a semana a Kidzania abre às 10:30. Depois de um check-in bem simples, os Pais e a criança recebem uma espécie de relógio que nos liga. É o sistema de segurança. As crianças devem permanecer sempre dentro do espaço, enquanto que os Pais podem sair e entrar quantas vezes quiserem. Mas atenção, crianças com idade inferior a 8 anos devem estar sempre acompanhadas pelos Pais.
 

Entramos e começou a aventura. A excitação era tanta que os primeiros minutos são de confusão total. Para onde vamos primeiro, onde é que fica aquela marca, qual o caminho para o banco, são perguntas que ficamos ali parados a tentar encontrar a resposta.

 
“Já sei para onde vou”, disse o miúdo a correr desenfreado. Os Pais quase nem têm tempo para acompanhar. Uma boa ideia seria ter uma aplicação para telemóvel para poder acompanhar por onde andam as crianças, seria mais fácil e evitaria algumas correrias dos Pais.
 

20180808_192206_0001.png

 
Foram tantas as atividades que acabamos por perder a conta. Encontramos poucas filas, os tempos de espera são apenas entre o final de uma atividade e o início de outra. Há alguma correria das crianças, tal é a sua vontade de completar com sucesso as tarefas que lhes são confiadas.
 
Todos os funcionários reais estão muito envolvidos, tratam as crianças por você e alguns por Senhor ou Senhora. “Pai, parecia que eu já era adulto”, dizia o mais pequeno a comentar esta forma de tratamento.
 
O dinheiro. Sim, esta é uma brincadeira, mas simula a vida dos adultos. As crianças que vêm os Pais a trabalhar e a ganhar o seu dinheiro, querem brincar ao faz-de-conta e eles próprios serem adultos por algumas horas. É a vida, não há volta a dar. Eles querem ganhar mais algum para poder comprar qualquer coisa, querem ganhar para depositar no banco e fazer uma poupança. É uma brincadeira ao Mundo real e aos domingos os Pais também podem participar em todas as atividades, pois os Pai também precisam de brincar.
 

20180808_192739_0001.png

 
Saímos às 18, hora de fecho do espaço durante a semana. Foi intenso, sem dúvida. O miúdo foi carteiro, foi investigador criminal, foi construtor civil, foi bombeiro, locutor de rádio e mais e mais… e aproveitou e tirou a carta de condução.
 

20180808_192129_0001.png

 
Vamos voltar de certeza, até porque trouxemos dinheiro e um cartão bancário também com uns trocos. “Pai, agora já sei qual vai ser a minha profissão”, disse o miúdo na viagem de regresso.
 
O Pai
 
P.S.: Antes de terminar gostaria apenas de deixar a nota que fui preso. Sim, é verdade, alguns agentes da autoridade da Kidzania levaram-me para a prisão alegando que eu tentei participar em algumas atividades exclusivas das crianças. Fui a tribunal e foi declarada uma sentença de 5 minutos na cadeia. Ao fim de 3 minutos saí por bom comportamento.
 

20180808_191042_0001.png