Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

14.Fev.19

Pai, olha para mim e relaxa

pai-olha-para-mim-e-relaxa.png

Sabem aquelas alturas em que andamos a pensar em imensa coisa que só queres encontrar um canto para relaxar e “limpar” a cabeça? Isto acontece-me muitas vezes. Estou sempre a pensar no que posso fazer para melhorar, seja aqui no blog, na minha profissão, etc.
 
Sabem qual é o meu “cantinho”? É junto ao meus filhos.
 
Pode parecer estranho porque a agitação de estar com os filhos não se ajusta à ideia de relaxar e libertar o pensamento. Certo, mas quando estou com eles o meu pensamento está focado naquele momento. Estar de corpo e alma com os filhos é muito importante e não é só para eles, é também para nós. O nosso cérebro precisa desses estímulos para evoluir, o nosso corpo precisa dessa energia para se renovar.
 

São tantas as vezes que fico ali parado a olhar para eles. Para o mais velho quando está concentrado a fazer os trabalhos de casa ou a jogar um jogo na consola. Apenas a observar, ali uns minutos sem pensar em nada. Com a bebé, adoro ficar parado e vê-la a dormir. A sua calma angelical passa-me uma energia tão grande que não me canso de estar ali ao lado.

 
Como referi, a calma nem sempre é o cenário reinante. Por vezes o caos apodera-se dos mais pequenos e é quase impossível pensar noutra coisa que não gerir o que está a acontecer. Mesmo aí devemos estar focados, as crianças sentem quando lhes arranjamos concorrência. Quando a mais pequena desata a chorar sem razão aparente e nós fazemos de tudo para que se acalme e volte ao seu comportamento normal, mesmo aí é possível relaxar? Sim é, porque o nosso foco está ali nos nossos braços e tudo à volta é um cenário a que vamos voltar mais tarde.
 
A verdade é que nós Pais vivemos sempre com imensa coisa na cabeça. Faz parte, nada a apontar, é a nossa vida. Quando não existe o tal cantinho para relaxar, temos de encontrar formas para o construir, nem que seja em cima do caos lá de casa.
 
As teorias do “tempo de qualidade” são enganadoras. Não acredito em formulas no que toca à educação dos nossos filhos. Estar duas horas por dia com os filhos deixa-nos de consciência tranquila de que estamos a ser bons Pais? Não, de todo! Estar 10 minutos com as crianças num dia longo em que só conseguimos chegar a casa já tarde e nos entregamos de corpo e alma, vale mais, muito mais, do que duas horas a pensar noutras coisas.
 
As terapias estão na moda, cada uma com uma fórmula e existe uma que conhecemos desde que nascemos e duvidamos do seu potencial. Estar com os filhos é a minha terapia. Com eles não penso em mais nada.
 
O Pai
06.Fev.19

Pai, eu vou ajudar a minha irmã

pai-eu-vou-ajudar-a-minha-irma.png

Se num primeiro momento houve choro, agora está completamente apaixonado. O meu filho mais velho tocou os extremos, dando razão à expressão “Primeiro estranha-se, depois entranha-se”.
 
Eu e a minha irmã somos melhores amigos, partilhamos muito da nossa vida e ajudámo-nos muito. Nem sempre foi assim, é claro. Eu sou 9 anos mais velho do que a minha irmã e naturalmente que vivemos em fase diferentes. Com 18 anos e cheio de dúvidas sobre o meu futuro, era difícil a minha irmã com 9 poder ajudar, mas mesmo assim ela tentava e quando me via mais em baixo era a primeira a vir junto a mim fazer palhaçadas para eu animar.
 
A relação dos meus filhos como irmãos vai passar mais ou menos por estas fases. A fase do crescimento da mais pequena e a intromissão no mundo do irmão. As dúvidas existenciais do mais velho em contraste com a descoberta do mundo da mais pequena. Enfim, até uma certa idade a vida deles vai ser mais ou menos em paralelo, prevejo eu.
 

Das horas e horas de conversa que tive com a Mãe dos meus filhos sobre a ideia de voltarmos a ser Pais, um dos assuntos em que éramos consensuais era sobre a importância do mais velho ter um irmão. A relação de irmão é para sempre, tudo pode falhar, mas há sempre o irmão ali para segurar as pontas.

 
Um dia destes, o mais velho assistiu a uma conversa minha com a minha irmã. Ela estava a pedir-me conselhos para a sua vida profissional e eu, como sempre, a ajudá-la para que tome as melhores decisões, ou pelo menos que reflita mais tendo a minha experiência como referência, quer a positiva, quer a negativa.
 
No final da conversa, o meu filho comenta comigo: “Pai, quando a minha irmã crescer eu também vou ajudá-la?”. Curiosa a sua visão sobre como será ser o irmão mais velho. Para já é estar por perto, fazer palhaçadas e medir a temperatura da água no banho… Disse-lhe que logo a seguir aos Pais, os irmãos são as pessoas mais importantes na vida. Nem sempre se vão entender a 100%, mas no fundo serão melhores amigos. Finalizei assim “A tua irmã vai olhar para ti como um exemplo, por aquilo que fazes bem e por aquilo que fazes mal. Acredito que vá precisar da tua ajuda muitas vezes e tenho a certeza que tu vais querer estar sempre disponível para a ajudar.”… “Pois vou Pai”, respondeu quase sem pensar.
 
Aproveitei ainda para lhe dizer que na mesma medida que ele vai ajudar a irmã, o contrário também vai acontecer. “Ser irmão é isso mesmo”, disse-lhe.
 
Ter a oportunidade de ver esta relação crescer é um dos privilégios de ser Pai. Como duas pessoas com tanto em comum vão entender-se, vão brigar, vão brincar, vão vibrar com as conquistas de cada um e sempre, sempre, vão querer estar lá quando for preciso.
 
O Pai e a Mãe estão ali ao lado a assistir a tudo…
 
O Pai