Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

Reflexões do Pai #4

Não há desculpas quando erramos? 

 

Quem nos exige sermos os melhores pais do mundo? Os filhos? Não. A sociedade? Em parte sim. Nós próprios? Sem dúvida que sim. Queremos estar sempre à altura das exigências, se falhamos somos os primeiros a culpar-nos, sem perdão ou complacência. Não é justo. Somos seres humanos cheios de defeitos, cheios de vícios e erramos constantemente. Se outros erros desculpamos, porque é que quando envolve os nossos filhos não temos desculpa? Não é isto que queremos que os nossos filhos tenham como exemplo, pois não? Então vamos relaxar e aproveitar ao máximo esta dádiva que é sermos Pais. 

 

O Pai

 

Reflexões do Pai #3


Os filhos não têm de ser iguais aos Pais



 

"Eles são parecidos contigo", a aparência física e sobretudo personalidade dos nossos filhos são sempre pontos de comparação com os Pais, mas não temos de educar semelhantes, pelo contrário, é bom que os nossos filhos sejam diferentes de nós Pais. É frequente reconhecer traços de semelhança, sobretudo naqueles que sabemos que não são os nossos melhores. É difícil de corrigir quando sabemos que nos comportamos de forma igual, mas isto é que é a educação - o esforço dos Pais em fazer evoluir a espécie humana... para melhor de preferência. 

 

Todas as reflexões do Pai em:

http://bit.ly/reflexoes-do-pai

Pai, quero ficar mais tempo de férias

pai-quero-ficar-mais-tempo-de-ferias.png

O regresso à Escola marca o final das férias, é uma lei de La Palisse e aquela altura do ano em que os Pais suspiram para que passe rápido, tais são os afazeres associados ao arranque do ano letivo. Este ano, as nossas férias foram diferentes dos anos anteriores, eu e a Mãe tivemos de dividir férias e o tempo que passamos todos juntos resumiu-se a 2 semanas. Esta situação trouxe-nos um sabor agridoce, por um lado conseguimos estar 100% presentes nos primeiros meses da nossa bebé, por outro gozar férias à vez não é tão compensador.
 

Para além de nós Pais, o nosso filho mais velho sentiu e muito este período. Se em outros anos nos dizia que queria ir para a Escola mais cedo que o previsto, este ano, as férias para ele foram curtas. Sim, claro, esteve mais de 2 meses de férias, mas como está habituado a que este período tenha mais presença do Pai e a Mãe ao mesmo tempo, desabafou connosco “Quero ficar mais tempo de férias”.

 
Notámos que este tempo junto da irmã criou uma ligação muito forte entre os dois. Se a mais pequena vê no irmão a grande referência, o mais velho “adotou” a irmã como fazendo parte do seu dia-a-dia. Este é o aspeto mais positivo que retiramos destas férias, a relação que os irmãos construíram. Fica para a vida, acredito eu.
 
Nas férias houve espaço para tudo, para atividades tecnológicas como o mais velho gosta, muito futebol, praia, passeio com a família, até umas férias sem os Pais. Não temos a preocupação de preencher demasiadamente o período de férias, nem a obsessão de manter sempre as crianças entretidas. Nas férias é legítimo eles não terem nada para fazer, sentirem-se aborrecidos porque estão demasiado relaxados. Quem dera aos Pais voltar a ter esta sensação nas férias, verdade?
 
Como em tudo na vida, há um começo e um fim. E o fim, neste caso, marca o regresso à Escola. A nostalgia das férias passa logo nos primeiros dias. As novidades passam a encher as conversas e tudo é feito com o máximo de expectativa para um novo ano. Ao contrário da ideia generalizada da maior parte dos Pais, nós gostamos do regresso às aulas. Sentimos a adrenalina das crianças como se fossemos nós a entrar na Escola. Obviamente que estes primeiros dias nós deixamos o coração em constante aperto, mas ao mesmo tempo este aperto dá-nos vida, porque sabemos que a Escola só lhes faz bem.
 
Espero que este ano seja mais um cheio de novos conhecimentos e conquistas…para todos, nós Pais e para as nossas crianças. Quanto às férias, resta-nos esperar (e suspirar) que elas voltem…
 
O Pai

Reflexões do Pai #2

Primeiro dia de aulas

Passaram mais de dois meses desde a última vez que viemos à Escola. Reencontramos rostos conhecidos, as crianças cresceram imenso nestas férias e os Pais? Os Pais estão na azáfama de mais um regresso à Escola. Tudo muda, nestes dias. As rotinas regressam, há mais trânsito, parece que o Mundo tem um recomeço. Então se é assim, vamos aproveitar para fazer coisas novas. Acaba por existirem mais mudanças neste dia do que na passagem de ano e aí fazemos grande planos e promessa. Vou fazer diferente e aproveitar esta data para desejar um bom ano aos Pais, repleto de conquistas e que as nossas crianças sejam felizes…todos os dias.

O Pai

Reflexões do Pai #1


Sentimento de culpa? 



Quando deixamos os nossos filhos na porta de escola, ficamos com um misto de emoções que variam entre o “faz parte da vida" e o sentimento de culpa por não poder ficar a cuidar deles por mais tempo. Esta semana deixámos a nossa bebé pela primeira vez na escola e o aperto no coração é diário, mesmo com a total confiança que temos na educadora e nas auxiliares, é impossível ficar indiferente a este momento. Ai como eu adorava ficar ali a espreitar como se porta a menina, como interage com os outros bebés e como se dá com tantas novidades ao mesmo tempo. Há um sentimento de culpa por não poder ficar com ela mais 1 ou 2 anos. Há um sentimento de culpa por ter de a fazer sofrer estas mudanças tão drásticas na sua vida ainda a começar. Nós Pais trazemos as crianças ao mundo, mas o momento do nascimento é o seu primeiro voo. Esta semana começou mais um.

 

O Pai