Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

22.Fev.19

Pai, eu não quero chegar atrasado

pai-nao-quero-chegar-atrasado.png

"Acorda, veste-te, toma o pequeno almoço... despacha-te". Soam-lhe familiares estas palavras? Sobretudo em manhãs agitadas, estou certo. Mas existem manhãs que não sejam agitadas, existem fins de semana sem uma agenda preenchida? A agenda dos Pais está sempre preenchida de compromissos e sempre com hora marcada. 
 
Eu fui, durante muitos anos da minha vida, alérgico a horários. Chegava atrasado às aulas, chegava atrasado ao emprego, até chegava atrasado aos encontros com a namorada. E foi precisamente a namorada que gostava tanto de mim que decidiu enfrentar uma cruzada e tentar mudar-me. Demorou, mas conseguiu.
 

Cumprir horários é uma questão de educação e respeito para com os outros. Demorei a entender, talvez por estar demasiado focado em mim próprio. Por muita ajuda que os meus Pais me davam (e louvo a sua paciência infinita), chegar a horas dependia sobretudo de mim.

 
Com os filhos o cenário muda, mas não assim tanto como a maioria dos Pais pode pensar. Os filhos não são desculpa para nos desleixarmos e pensar que do outro lado vão perceber porque não estamos a cumprir o combinado. Há contratempos, claro que sim, mas vamos ultrapassado-os com maior ou menor dificuldade. Com o nascimento da princesa, as rotinas matinais lá em casa mudaram muito. Somos dois para dois e embora o mais velho seja muito autónomo, precisa sempre da nossa ajuda para se despachar…quero dizer se arranjar. Não tem sido fácil e temos chegado à Escola com uns minutos de atraso. De quem é a responsabilidade maior? Dos Pais, obviamente, mas não devemos tirar completamente a responsabilidade das crianças, especialmente as que já têm idade para assumirem os seus deveres.
 
Há dias uma Mãe estava a justificar sucessivos atrasos à Escola com o facto da sua filha de 8 anos demorar imenso tempo a arranjar-se. Já tinha tentado de tudo, mas optou por deixá-la ser submetida à chamada de atenção da professora. Resultado? A miúda sentiu o alerta e sentiu-se responsável.
 
Nós protegemos os nossos filhos o mais possível. “Se eu já fiz errado, tu não precisas de cometer o mesmo erro”, este é um pensamento muito presente nos Pais. Ora, nada como deixar as crianças “baterem de cabeça” para aprenderem, mas existe uma responsabilidade que não podemos fugir que é dar o exemplo senão ouvimos na primeira oportunidade “Pai, também chegas sempre atrasado”, aqui ficamos sem argumentos.
 
Duas lições retiro deste assunto: (1) somos responsáveis pelos atrasos dos nossos filhos, mas podemos dividir esta responsabilidade assim que as crianças cresçam; (2) que os nossos defeitos são sempre passíveis de ser ultrapassado, desde que haja vontade.
 
O Pai