Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

05.Set.18

Pai, já estás a imaginar ser Pai outra vez?

pai-ja-estas-a-imaginar-ser-pai-outra-vez.png

Esta segunda gravidez está a ser diferente da primeira em muitos aspetos. Primeiro de tudo, a nossa experiência, não só como Pais, mas também como pessoas mais velhas. São mais de 8 anos de diferença e claro que isso pesa.

 
Foram 8 anos de intensas emoções, de aprendizagem diária, de tanto amor para dar e de receber tanto de volta. E agora, como é reviver toda a história?
 
Antes de tudo, importa sublinhar que sempre quisemos ter um segundo filho. Já o queríamos mesmo antes de nascer o primeiro. Depois de sermos Pais, fomos vivendo intensamente cada fase e comentando que cada vez era melhor… e continua a sê-lo.
 
Depois de ter nascido o nosso filhos vivemos vários anos presos ao planeamento. “Daqui a 2 anos vamos pensar” e passavam os anos e nós tínhamos sempre alguma coisa prioritária em que pensar. Fomos adiando. A vida profissional não encaixava no que planeamos para a vida pessoal e assim fomos esquecendo este assunto. Por outro lado, a idade biológica começa a pressionar e era cada vez mais baixa a prioridade.
 

Até que a nossa vida nos deu um sinal quase que a dizer-nos que o tempo passa muito depressa e que se o deixarmos passar estaremos a desperdiçar o melhor que ela tem para nos proporcionar. Entendemos que grandes planos só nos prendem e que planos mais simples nos deixam viver a vida com mais prazer.

 
Deixamos que a natureza nos dissesse se poderíamos ser Pais novamente. Esperamos pacientemente por esse momento sem que isso se tornasse numa obsessão. A nossa vida já era aquilo que sempre quisemos, não haviam os “mas e se”, nem sequer “e estaríamos melhor se”.
 
Num dia, como outro qualquer, a Mãe sentiu aquilo que só mesmo as mulheres conseguem sentir. Do que entendi, não é nada físico, não é uma alteração de humor ou estado de espirito, é uma sensação. “Acho que estou grávida”, disse-me a Mãe sem saber muito bem como seria a sua própria reação. Disse-me primeiro de saber ao certo, para que fosse possível viver aquele momento ao mesmo tempo.
 
“Vamos fazer o teste”, disse-me ela. Eu como sou muito mais emocional lido pior com o “Não”, por isso não concordei no imediato e pedi para esperar. A Mãe compreendeu e não avançamos.
 
Passaram uns dias e o assunto era quase tabu. Era um misto de querer e não querer encarar a realidade. Apenas com o olhar eu sabia que conseguia transmitir o meu medo. O tempo biológico é muito cruel e nunca sabemos quando é que a natureza nos dá a resposta.
 
“Entra no quarto e vê o que te deixei lá”, disse-me quase sem olhar para mim. Foram meia dúzia de metros que percorri em casa. Meia dúzia de segundos em que imaginei toda a minha vida daí para a frente. Como disse, lido mal com o “Não” e por isso só pensei que poderia ser uma coisa muito boa.
 
Entrei no quarto e depressa encontrei o teste de gravidez gentilmente pousado sobre o móvel. Peguei quase sem respirar fundo. Fui com o ar que tinha nos pulmões e com o coração completamente a disparar. Olhei e li “Grávida”…
 

20180904_235956_0001 2.png

 
Não consegui tirar os olhos daquela palavra. Entretanto a Mãe entra no quarto, “Eu disse-te que sentia”. Demos um abraço daqueles em que o silêncio diz tudo. Aquele momento ficou marcado como a primeira etapa desta nova fase da nossa família. Uma fase cheia de desafios em que vão ser necessárias todas as forças, todas as energias positivas para continuarmos a ser felizes como sempre quisemos ser.
 
Eu, Pai de dois filhos! Falta pouco para não ser só imaginação.
 
O Pai

9 comentários

Comentar post